Paz, justiça e instituições eficazes – isso é possível?