Educação para o Bem Viver

O Dia do Cerrado, as queimadas e os cuidados com a saúde humana

Hoje, 11 de setembro, comemora-se o dia do cerrado brasileiro! E o que vemos atualmente é uma série de queimadas em vários biomas por todo o país.

As queimadas são atividades realizadas tanto em áreas de florestas como em áreas de pastagens, ocorrendo para diversas finalidades, como limpeza da vegetação ou preparo do solo, para a agricultura e pecuária. Elas podem ser de dois tipos, natural e humano, causadas pelo próprio meio ambiente ou pelos seres humanos.

As queimadas têm muitas consequências ruins, como: aquecimento global, problemas de saúde e perda de biodiversidade

As causas da maior tragédia do Pantanal - Outras Palavras

Causas das queimadas

A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação reconhece como principais:

Raios: descargas elétricas podem promover incêndios diretos ou indiretos na natureza ou em áreas de pastagens.

Incendiários: incêndios provocados por pessoas a propriedades alheias, sem motivos específicos.

Queimadas para limpeza: geralmente promovidas por agricultores e pecuaristas, em áreas de pastagens ou de agricultura, para renovação do solo e introdução de sais minerais liberados pela prática. Esses incêndios podem atingir áreas florestais e sair do controle.

Fumantes: incêndios originados por pessoas que fumam e descartam as bitucas de cigarro de forma incorreta.

Fogos campestres: provocados por pessoas que acampam ou estão no campo, desenvolvendo alguma atividade, e fazem uma fogueira, que pode alastrar-se.

Operações florestais: queimadas são causadas por trabalhadores que estão nas florestas, que usam do fogo para alguma finalidade.

Estradas de ferro: queimadas promovidas direta ou indiretamente pelas atividades nas estradas de ferro.

Diversos: incêndios que não se encaixam nos grupos anteriores; queimadas que ocorrem de forma rara ou incomum.

Queimadas no Brasil

Governo Federal libera mais de R$ 10 milhões para combate às queimadas no Pantanal — Português (Brasil)

Alguns fatores têm feito as queimadas no Brasil aumentarem, como o avanço do desmatamento e a ampliação das áreas de pastagem e atividades econômicas ligadas à agropecuária.

Outro fator que acaba influenciando na propagação de incêndios pelo território brasileiro é o tempo seco e quente, vivenciado em grande parte do país entre agosto e setembro. Esse tempo mais seco, aliado à ação dos ventos, pode fazer as chamas aumentarem-se e proliferarem-se, e a ausência de chuvas comum nessa época do ano faz com que as queimadas em larga escala ampliem-se.

Em sua grande maioria, essas queimadas são provocadas pela ação humana de maneira criminosa. Os incêndios são muitas vezes ligados às atividades econômicas, iniciados por agricultores em áreas de pastagens, para renovação de pastos, e por grupos que causam desmatamento para eliminar vegetação rasteira e retirada de madeira para comercialização.

Essas práticas acabam por atingir diversas florestas, como é o caso dos biomas AmazôniaPantanal e Cerrado, onde áreas de proteção ambiental, como o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (GO) ou Parque Nacional das Emas (MT e GO), a Chapada Diamantina (BA) e o Pantanal (MT e MS) estão sofrendo severos danos ambientais.

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Brasil registrou mais de 318 mil km² de área destruída pelo fogo em 2019, isso equivale aos tamanhos dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo juntos.

Segundo o Inpe, todos os seis biomas brasileiros sofreram com essas ações, mas Amazônia, Pantanal e Cerrado são os que mais têm sofrido com os focos de incêndio. Em 2020, o bioma da Amazônia teve mais de 64 mil focos de incêndio, seguido do Pantanal, com mais de 14 mil focos, e do Cerrado, superando a casa do 10 mil focos de incêndio.

Controle de queimadas no Brasil

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e o Ministério do Meio Ambiente são as instituições governamentais responsáveis pelo monitoramento e controle de queimadas no país. Diversos planos devem ser desenvolvidos pelo ministério na tentativa de combate aos focos de incêndios e grandes queimadas no território brasileiro.

Diversas ações podem ser desenvolvidas para o combate a essa prática, entre as mais comuns e eficazes temos a informação, ou seja, investimentos na área da comunicação em massa, para educar as pessoas a não realizarem essas práticas, essas campanhas podem ser realizadas em escolas, mídias sociais, TV etc.

Quando o incêndio está em ocorrência, duas práticas são mais comuns, primeiro com os brigadistas, grupos de pessoas treinadas para o combate ao fogo com equipamentos de segurança e de controle de incêndios especiais; e segundo com uso de aviões com água, despejados em voou nas áreas de ocorrência de incêndios.

O Governo Federal pode direcionar as Forças Armadas para ajudar no combate a incêndios no Brasil. Assim soldados do Exército Brasileiro são redirecionados para ajudar os brigadistas de frente no combate aos incêndios e controle das queimadas no Brasil.

Consequências das queimadas

As consequências das queimadas, de modo geral, são prejudiciais, tanto ao meio ambiente quanto à saúde humana. De forma direta, as queimadas geram destruição ambiental dos biomas e áreas que elas afetam, e elas também emitem gases poluentes e fumaça, que causam mal à saúde do ser humano, quando inalados imediatamente. Outras doenças respiratórias podem ser desenvolvidas pelo contato direto com esses gases, como bronquitesinusite e rinite.

Essa emissão de gases e fumaça também afeta o meio ambiente e contribui para o chamado aquecimento global e efeito estufa. Esses gases desequilibram a temperatura do planeta Terra, aumentando-a, promovendo diversos efeitos negativos, como desequilíbrio do ciclo da água, com ausência de chuvas em diversas regiões do mundo e aumento do nível dos oceanos, em decorrência do derretimento das calotas polares.

Com a diminuição de chuvas, temos a diminuição de áreas de vegetação natural e consequente perda da biodiversidade (fauna e flora). Com a eliminação desses biomas, há o aumento das áreas de desertos ou de processos de formação de desertos. Em suma, haverá um constante desequilíbrio ambiental se nada for feito para combater essa prática humana tão agressiva.

Fonte: https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/queimadas.htm

Medidas preventivas de proteção pessoal:

  • Evitar exercícios físicos e exposição ao ar livre entre 10 e 16 horas, bem como usar máscaras para evitar contato com o novo Coronavírus;
  • Umidificar o ambiente através de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água, umidificação de jardins, entre outros;
  • Permanecer em locais protegidos do sol ou em áreas arborizadas;
  • Evitar aglomerações em ambientes fechados;
  • Ingerir dois litros de água diariamente e consumir alimentos mais leves como legumes, frutas e carnes brancas;
  • Usar acessórios de proteção como chapéu, boné ou guarda-sol;
  • Usar protetor solar sempre que sair ao sol;
  • Ao sentir ressecamento das mucosas do nariz e da garganta, sangramento nasal, dor de ouvido, ressecamento da pele e irritação dos olhos, a pessoa deve procurar imediatamente a unidade de saúde mais próxima. A medida deverá ser adotada mesmo que os sintomas não se manifestem todos ao mesmo tempo.
  • Ao invés de varrer a casa, o que espalha a poeira, o indicado é passar um pano molhado. Ao passar a vassoura, a poeira é espalhada;
  • Não usar produtos com cheiro muito ativo. Desinfetantes e detergentes com cheiro forte são mais fáceis de provocar alergia;
  • Evitar bichinhos e outros objetos de pelúcia.

Medidas de Proteção Ambiental:

  • Não fazer fogueiras nas proximidades de matas e florestas;
  • Evitar queima de restos de varrição em quintais e vias urbanas;
  • Evitar jogar pontas de cigarros para fora dos veículos, principalmente nas margens de rodovias;
  • Buscar alternativas para o não uso do fogo, como mecanização do solo, utilização de culturas permanentes, entre alternativas orientadas pelo órgão de extensão rural do Estado – RURALTINS
  • Fazer abertura de aceiros;
  • Em caso de queimadas controladas, verificar junto à Prefeitura Municipal quanto à existência da Brigada de Combate a Incêndios, para que a mesma auxilie no controle desta prática. Realizar a queima em horários de temperatura amena, preferencialmente, após a ocorrência de chuvas;
  • Obedecer ao Calendário de Queima estipulado pelo Comitê Estadual de Prevenção e Combate as Queimadas e Incêndios Florestais do Estado.

DIA DO CERRADO – 11 de setembro

Segundo o biólogo Luís Gabriel, o Cerrado “ocupa 25 do nosso país, sendo assim o segundo maior bioma da América do Sul. É também onde nascem os principais rios do Brasil, como Parnaíba, Paraguai, Paraná, Tocantins-Araguaia e o rio São Francisco. O  Cerrado contém mais de 6 mil espécies de árvores e 800 de aves que só existem nesse bioma e em nenhum outro lugar do mundo.

Para o estudioso, que é engajado nas causas socioambientais, “o Cerrado, junto com a Caatinga, é a área menos protegida pelo poder público. Esse bioma apresenta apenas 8, 21% de seu território legalmente protegido por unidades de conservação. Essa falta de reconhecimento do bioma gera muitas perdas irreversíveis desse território único no mundo”.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *