Autobiografia

O que a pandemia me trouxe em 2021

Autobriografia - Parte 5

“A verdade prova que o tempo é o senhor dos dois destinos. E já que pra ser homem tem que ter a grandeza de um menino, de um menino, no coração de quem faz a guerra nascerá uma flor amarela” (Cidade Negra)

 

 Cá estou mais uma vez no CEEJA, nesse ano de dois mil e vinte um, para contar mais um pedacinho de minha vida, mais um fragmento da minha autobiografia. Queria dizer para os meus leitores que o ano de dois mil e vinte foi, para mim, o ano que o mundo entrou em luto. Mais fora o luto do mundo com o vírus do coronavírus, eu – Rodrigo Maia – tive três lutos. O primeiro luto foi duas perdas de entes queridos. O segundo foi o coronavírus que me fez perder todas minhas bençãos e o terceiro foi dar ouvido mais uma vez às vozes das trevas, cujo significado é ouvir a voz da escuridão e não ouvir a voz da luz e caminho do nosso Senhor Jesus Cristo.

 

Desobediência é um dos exemplos dessa escuridão. Nós, que somos a semelhança de Deus e não ouvimos a voz de Deus, pagamos por nós mesmos por estes pecados sem que a escuridão interfira em nossos erros – que nós mesmos causamos – para sofrer nessa falta da iluminação divina. Posso citar como exemplos: meus estudos, meu tratamento dentário, minha união com minha igreja, meu trabalho, saúde mental, física e espiritual, dignidade, integração com minha família e etc. Tudo isso veio desses dois lutos que eu acabei de escrever nas linhas de cima.

E então veio a mim o terceiro luto para minha vida. Novamente a recaída com álcool e drogas que por justiça, misericórdia e amor de Deus no ano de 2020 eu não cheguei a ir a óbito – o que no total da minha vida desse ano seriam quatro lutos com minha morte. Vou explicar o motivo do quarto luto porque em uma só semana parei três vezes no hospital em coma alcoólico e por uso de drogas.

Quero dizer que essa recaída aconteceu de março a novembro de 2020 me afastando novamente da luz da minha vida. O caminho da eternidade, da graça e do amor só eram através do amor do próximo, que me levou para um tratamento de saúde – com a colaboração da área da psicologia,  da medicina, da assistência social, entre outros profissionais, cientistas e religiosos.

 

 

Portanto, no dia 4 de dezembro de 2020 fui para uma casa de acolhimento, que também é uma casa de oração, chamada de Casa Mateus 25. Lá fui muito acolhido e retornei na vida em sociedade e com a minha família depois de três meses. Também me curei em pouco tempo mentalmente e espiritualmente. Com isso, meu corpo foi limpo e me deu forças para voltar a trabalhar, estudar e cuidar das minhas plantas.

Estou nessa noite de quarta-feira de 16 de junho de 2021, na sala de leitura da escola, com a interlocutora de LIBRAS, para dizer que estou muito bem no amor de Jesus. Já estou cursando a disciplina de Historia e Inglês no Ensino Médio aqui no CEEJA. Eu me tornei doador de sangue e estou trabalhando numa empresa na área de jardinagem.

“I am happy I feel the presence of God in mys life and is God who writes my story…”

“Sou feliz pois sinto a presença de Deus em minha vida é Ele quem escreve a minha história…”

Assim, gostaria de deixar minhas cinco verdades que me ajudaram a trazer a luz para nosso coração: Deus, Jesus, Espírito Santos, a Bíblia e os Mandamentos de Deus. O amor foi essencial para me livrar de todo esse sofrimento.

“We lear knowledge from masters and books. Wisdom is learned from life and from tehe humble”

“O saber a gente aprende com os mestres e os livros. A sabedoria, se aprende é com a vida e com os humildes”

(Cora Coralina)

 

Autoria:
Rodrigo Maia é estudante do CEEJA, trabalhador e amante das plantas.
Possui a grandeza de um menino e é autor de várias autobiografias aqui neste blog.

Você também pode gostar...

2 comentários

  1. Raquel dos Santos Candido

    Excelente texto Rodrigo, sua história, sua força e determinação em mudar os rumos do seu caminho é inspiração para todos!

  2. Ana Maria Costa Mandeli says:

    Rodrigo Maia é um exemplo de perseverança, amor à Deus, a família e as plantas.
    Conheço-o desde 2015, e com toda certeza Deus não abandona seus filhos…..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *