Ciências Educação para o Bem Viver

POLÍTICA COMO PORTADORA DA FRATERNIDADE

No mês das eleições municipais, propomos aos eleitores e aos candidatos aos cargos políticos três reflexões do Papa Francisco extraídas de sua última encíclica, Fratelli Tutti (Todos irmãos). A encíclica reforça, em seu capítulo 5º como a política pode ser protagonista e responsável por um mundo mais  fraterno. O papa nos convida a revalorizar o seu papel como “uma sublime vocação”

Sublime caridade

Política com Fé

 

“É caridade acompanhar uma pessoa que sofre, mas é caridade também tudo o que se realiza – mesmo sem ter contato direto com essa pessoa – para modificar as condições sociais que provocam o seu sofrimento. Alguém ajuda um idoso a atravessar um rio, e isto é caridade primorosa; mas o político constrói-lhe uma ponte, e isso também é caridade. É caridade se alguém ajuda outra pessoa fornecendo-lhe comida, mas o político cria-lhe um  emprego, exercendo uma forma sublime de caridade que enobrece a sua ação política.

 

 Ouvir o diferente

“Enquanto os fanatismos, as lógicas fechadas e a fragmentação social e cultural proliferam na sociedade atual,         um bom político dá o primeiro passo para que se ouçam as diferentes vozes. É verdade que as diferenças geram  conflitos, mas a  uniformidade gera asfixia e neutraliza-nos culturalmente. Não nos resignemos a viver  fechados num fragmento da realidade.”

Força e ternura

“Os políticos são chamados a ‘cuidar da fragilidade, dos povos e das  pessoas. Cuidar da  fragilidade  quer dizer força e ternura, luta e fecundidade, no meio dum modelo funcionalista e individualidade que conduz inexoravelmente à ‘cultura do descarte’ (…); significa assumir o            presente na sua situação mais  marginal e angustiante e ser capaz de ungi-lo de dignidade’. Embora acarrete certamente imenso trabalho, ‘que  tudo se faça para tutelar a condição e a dignidade da pessoa                  humana’”!

Fontes:

Exort. ap. Evangelii gaudium (24 de novembro de 2013), 205: AAS 105 (2013), 1106.

Francisco, Discurso no Parlamento Europeu (Estrasburgo – França 25 de novembro de 2014): AAS 106 (2014),          1999.

[186] Idem, Discurso no encontro com as autoridades e o corpo diplomático (Bangui – República Centro-                Africana, 9 de novembro de 2015):AAS 107 (2015), 1320.

Top 3 | Redação | revista@cidadenova.org.br, Dicas preciosas a cada edição 28 | Cidade Nova | Novembro 2020.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário