#formaçãohumana A vez delas Educação em tempos de pandemia Educação para o Bem Viver

“A Vez Delas” completa um ano: reflexão, ação e resistência!

Nesse primeiro ano do projeto, temos muito o que agradecer e comemorar: o intuito não é oferecer apenas conteúdo e saber escolar e sim, promover uma formação que perpasse diferentes esferas da vida. 

O projeto “A Vez Delas” surgiu como decorrência do diálogo estabelecido entre professoras, educandas e equipe pedagógica. Busca promover o acolhimento das nossas estudantes tendo em vista a amplitude dos diferentes sujeitos que vivem a experiência da escola, em toda a sua historicidade e complexidade.

O projeto é o resultado da ousadia de educadores e estudantes, que fazem da nossa escola um lugar que não se limita a ensinar conteúdos, mas que busca promover a formação humana, o que envolve o exercício da escuta, do diálogo e das trocas de saberes.

Ao viver a experiência do CEEJA, nos chama atenção as suas mulheres, professoras, alunas, que por meio de suas vivências, histórias, saberes, valores, fortalecem o desenvolvimento mútuo e nos carrega de resiliência para continuar o caminho. O projeto é o resultado da vontade conjunta de expressarmos nossas vozes enquanto mulheres sobre o mundo.

As mulheres no CEEJA representam mais da metade de estudantes matriculados e frequentam a escola em busca de formação e melhores condições para viver, criar os filhos, resgatar a auto estima e lidar com as dificuldades.

A amplitude dessa formação perpassa o universo cotidiano de todos os nossos estudantes. Sua importância e validade deve ser ressaltada no ambiente escolar, quando sabemos que “o tempo na escola” foi renegado principalmente a elas.

“A vez delas” se constitui como momentos de reflexão promovidos na escola.

Esses momentos se mostraram essenciais para buscarmos dialogar com os nossos educandos, com as nossas mulheres, por meio da problematização das nossas vivências e dos saberes que trazemos para a escola.

As discussões partem da questão de gênero para dialogar sobre contextos e problemáticas presentes na na nossa realidade escolar, como o preconceito, o racismo, o capitalismo, a agroecologia, as desigualdades sociais, etc.

Compreendemos que não é possível desconsiderar as articulações entre as dimensões de gênero, cor/raça, classe social e identidade de gênero que constituem o perfil da nossa sociedade e dos/as estudantes brasileiros.

As atividades do projeto são pensadas de modo que possam ser vinculadas ao universo cotidiano dos estudantes da Educação de Jovens e Adultos para permitir através do exercício pleno da participação e da autonomia, estabelecer relações recíprocas entre  professores e estudantes, que mutuamente se formam e se desenvolvem com elas.

No seu 1º aniversário, apesar de todas as dificuldades que a Educação tem enfrentado por causa da pandemia, o Projeto resiste e tem motivos para comemorar a superação das adversidades!

Durante o ano de 2020, os idealizadores do projeto têm estabelecido uma rede de apoio e contato com as estudantes e assim promovem  a  troca  de  saberes, também ocorre indicação  de  leituras  diversas, participação  em lives que abordam o cotidiano feminino e parcerias com profissionais da área de psicologia que participam de encontros virtuais por meio de aplicativo de videoconferência. São ações que garantem o fortalecimento dos vínculos e favorecem a aprendizagem na perspectiva da formação humana.

As nossas Guerreiras Não Estão Sozinhas! 

Projeto comemora um ano com alguns destaques entre 2019-2020:

Projeto é selecionado para apresentação em Congresso Nacional “A mulher e o mundo do trabalho”

O texto completo aprovado como relato de experiência pedagógica da UNESP – Universidade Estadual Paulista/Câmpus de Marília, que trouxe como tema central A mulher no contexto histórico atual e tinha como objetivo objetivo aprofundar o debate intelectual entre à academia e sociedade, em torno da temática da condição social da mulher e seu papel enquanto sujeito social ativo em diferentes áreas de interesse, como à área acadêmica, no mundo do trabalho, política, jurídica e feminista.  O evento, agendado para 16 a 19 de março de 2020, foi suspenso e não ocorrerá enquanto durar a pandemia de COVID-19.

Artigo recente publicado em Revista Chilena

A Comunidade interessada em conhecer um pouco mais o projeto pode acessar o artigo publicado na revista chilena 795: Arty e Revolución, clicando aqui. Para contato por e-mail com a equipe organizadora segue o endereço eletrônico: avezdelas@ceejamarilia.com . Atualmente as atividades estão acontecendo por meios virtuais.

Capa da Revista que trouxe a questão da Alteridade como tema central

Artigo sobre “A vez delas” é selecionado em Edital da Semana de Arte de Ilhabela – edição virtual!

Com Edição Especial dedicado a autores brasileiros, a revista está em fase de execução e contempla principais textos da Revista 765 Arty e Revolución publicados nas últimas 5 edições.

Edição especial que será publicado em Ilhabela-SP, previsto para novembro de 2020.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário