Escola

Racismo e Preconceito

Crônica

Passei no semáforo hoje e um sinal vermelho me fez escrever essa crônica.

A cor Vermelha me chamou a atenção. Pés descalços ao meu lado, roupagem suja, postura baixa. Pensei: nesse mesmo semáforo passou o juiz que não deu voz de prisão, olhos fechados a uma parcela da nação.

A lei que existe para uns será mesmo a lei que existe para outros?

Opinião formada, tantos donos da razão, senhores do poder de uma pátria abandonada em cantos sujos, escuros, escondidos.

O semáforo continuou fechado e por alguns segundos balas perdidas foram encontradas em corpos negros. Atrocidade, indignação, exclusão.

“Semáforo” do medo no olhar desconfiado do carro ao lado. Pensei: é apenas o retrato de um problema atual: desigualdade existe não só em gráficos, mas quem se importa?

Raízes profundas vinculadas a tempos remotos. O que é questão, é violação.

“Ora, um futuro interrompido… uma voz calada… um olhar que chora… uma mãe que se encolhe, um “semáforo” que se fecha e não abre.

Assim termina um dia com a frase que mais se repercutiu na última semana: #Blacklivesmatter

Por: Wendi – Educadora do CEEJA de Marília-SP

Você também pode gostar...

2 comentários

  1. ceeja-admin

    Excelente postagem amiga ! beijos.

  2. ceeja-admin

    Que maravilhoso post Wend!!!!
    Emocionante….
    Amei

Deixe um comentário