#formaçãohumana coronavírus Educação em tempos de pandemia Escola Química

Mulheres na Ciência: Várias Lutas em uma só!

Movimento Educação para o Bem Viver

Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para Transformar o Mundo proposto pela ONU (Organização das Nações Unidas) nunca foram tão importantes como no momento que todos enfrentamos agora. A pandemia pelo novo Coronavírus trouxe à tona uma quantidade de reflexões essenciais e necessárias a se realizar neste momento para que possamos sair desta fase transformados.

Nações Unidas sobre os ODS e o COVID-19

A ODS-5 estabelece como premissa  acabar com todas as formas de discriminação contra todas as Mulheres e Meninas em toda parte, além de promover e garantir a participação plena e efetiva das mulheres e a igualdade de oportunidades para a liderança em todos os níveis de tomada de decisão na vida política, econômica e pública.

A conquista das cientistas pesquisadoras brasileiras não é só um marco do empoderamento feminino na ciência, mas também uma contribuição incrível para todo o mundo. A equipe responsável por sequenciar o genoma do Sars-Cov-2 é um ponto fora da curva e mostra que ciência é, sim, assunto de mulher!

As biomédicas Jaqueline Goes de Jesus, Ingra Morales, Flávia Salles e a farmacêutica Erika Manuli são as pesquisadoras da Faculdade de Medicina da USP, dentro do Instituto Adolfo Lutz (IAL), que decifraram a amostra do primeiro caso de infecção da Covid-19 na América Latina. O resultado saiu em apenas 48 horas, mostrando a estrutura do vírus. Elas fazem parte da equipe do Centro Conjunto Brasil-Reino Unido para Descoberta, Diagnóstico, Genômica e Epidemiologia de Arbovírus (CADDE), liderado pela médica Ester Sabino, 60 anos, e composta por mais quatro mulheres e um homem.

A imagem pode conter: 7 pessoas, pessoas em pé e área interna

Enquanto a média de sequenciamento em outros países é de 15 dias, equipe brasileira liderada pelas cientistas realizou todo o processo em 48 horas.

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas e texto

As informações de sequenciamentos podem ser acessadas por laboratórios e empresas de biotecnologia. A partir dos dados, é possível realizar exames diagnósticos em pacientes com suspeitas de vírus, assim como recriar trechos do genoma do coronavírus para pesquisas com o objetivo de fabricar vacinas contra o Sars-CoV-2.

Pesquisas apontam que a representatividade feminina na área de biologia, por exemplo, elas representam 61% dos alunos e 44% do total de docentes. Na física, são 21% dos estudantes e 16% dos professores, e na química são 56% dos alunos e apenas 37% dos docentes.

DOIS PESOS, DUAS MEDIDAS – Reflexões sobre as nossas ações:
Um menino pula em poças de lama, brinca com insetos, desmonta baterias e enfia a mão em uma fruta para ver como é por dentro, tudo sob o olhar orgulhoso dos pais. A irmã da mesma idade tenta fazer igual e rapidamente ouve advertências: “Não vá sujar seu vestido”, “Isso não é brincadeira para meninas”. É exatamente aí que começa a diferença entre o número de homens e o de mulheres cientistas. Para as pequenas, o explorar, que está diretamente ligado à ciência, é terreno proibido. As mulheres que superam essas barreiras e permanecem na ciência vão continuar lidando com os estereótipos de gênero. (Márcia Barbosa, professora de física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e integrante do grupo de gênero da Sociedade Brasileira de Física).

No contexto da pandemia de COVID-19, os atendimentos da Polícia Militar a mulheres vítimas de violência aumentaram 44,9% no estado de São Paulo. O Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) informa que o total de socorros prestados passou de 6.775 para 9.817, na comparação entre março de 2019 e março de 2020. A quantidade de feminicídios também subiu no estado, de 13 para 19 casos (46,2%).

São números tristes e que demandam reflexões e discussões que nos levem a agir para o Bem Viver. Como podemos mudar essa realidade? A Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres) já havia feito um apelo para que as autoridades governamentais planejassem ações específicas para mulheres durante a pandemia, levando em conta os riscos que sofrem, como a violência doméstica. O organismo ressaltou que, nessa fase, as mulheres não somente enfrentam entraves quanto ao acesso a serviços essenciais ou ordens de proteção, mas que “o impacto econômico da pandemia pode criar barreiras adicionais para deixar um parceiro violento”.

O Ligue 180 está disponível 24 horas por dia, todos os dias, inclusive finais de semanas e feriados, e pode ser acionado de qualquer lugar do Brasil.  Através deste contato é possível, ainda, se esclarecer dúvidas sobre a aplicação da Lei nº 11.340/2006, mais conhecida como Lei Maria da Penha, que prevê pena para cinco tipos de violência: moral, psicológica, patrimonial, física e sexual.

Entre tantas lutas que temos diariamente, a igualdade de gênero é mais uma.

Juntas, todas podemos fazer a Diferença!

A ciência faz parte do nosso dia a dia e é a única resposta para os grandes desafios que a humanidade enfrenta. O mundo precisa de 100% dos seus talentos, não só dos 50% que sempre estiveram à frente dos laboratórios.

 

Quelselise Xavier

Quelselise Xavier

A Humildade não te faz Melhor que Ninguém, mas te faz Diferente de Muitos! ("Pensador)

Você também pode gostar...

Deixe um comentário