Escola Fórum Popular da Natureza Semana da Educação para o Bem Viver

O PAPEL DO CEEJA DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19

Movimento Educação para o Bem Viver

 

O Direito à educação, se faz necessário inclusive para a liberdade de cada um, aliado ao seu exercício de cidadania, trabalho, além da própria felicidade A educação é uma conquista da liberdade que cada um exerce quando da sua condição de cidadão.

O reconhecimento da Educação na Declaração Universal de Direitos Humanos de 1948, é tratada como desenvolvimento pleno da personalidade humana. A previsão de que “todos têm direito à educação”, artigo 205 da Constituição Federal de 1988, abarca por si só o ideal de igualdade, só tendo sentido se for uma igualdade material, através de uma atuação estatal para garantia de padrões mínimos.

Mas apesar da educação ser um direito assegurado por lei, mais da metade dos brasileiros de 25 anos ou mais não concluiu a educação básica, 52,6%, nesta faixa etária não concluíram o mínimo de estudo esperado. A maior parte, 33,1% não terminou nem ensino fundamental. Outros 6,9% não têm instrução alguma, 8.1% têm o ensino fundamental completo e 4,5% têm o ensino médio incompleto e a taxa de analfabetismo no Brasil é de 6,8%- Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) de 2018.

nullUm dos propósitos da Organização Mundial da Saúde (ONU) é assegurar que todos os seres humanos possam desfrutar de uma vida próspera e de plena realização pessoal. Desta forma, a equipe CEEJA mantém suas atividades durante a pandemia do novo coronavírus, garantindo que mesmo de forma remota, os alunos se assegurem de uma educação inclusiva, equitativa e de qualidade, onde desta forma eles consigam alcançar seus objetivos tanto profissionais quanto pessoais. Mas queremos de volta nossas aulas presenciais, que é o melhor modelo para alcançar plenamente nosso modo de fazer Educação.

“Educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas transformam o mundo.” (Paulo Freire)

 

Você também pode gostar...

Deixe um comentário