Escola

Poema de aluna do CEEJA retrata tradição nordestina na busca pela esperança!

Promover e incentivar a escrita de textos poéticos estimula a sensibilidade ao mesmo tempo que coloca o aluno em sintonia com suas origens e  coloca as palavras como instrumento de liberdade e interação com a vida.

null

Nunca é Tarde

Eu vim de Pernambuco
Com três anos de idade
Meus pais estavam malucos
Para conhecer essa cidade.

Era São Paulo muito falado
Acabei amando essa cidade
Apesar dos arranha céus e avenidas
Me trouxeram felicidades.

Comigo trouxe a inocência
Sede de aprender como criança
Ingênua e abalada
Mas com muita esperança.

Passado muito tempo,
casei e tive filhos
Foram todos para a escola
Para não virar perdidos.

Depois de muita luta
Sou feliz no interior
Conquistei muitos amigos
Do pobre ao doutor.

Não tive de estudar
Mas antes que eu me esqueça
Meu coração nordestino
Me fez parar no CEEJA.

Evany Andrade

Você também pode gostar...

1 comentário

Deixe um comentário