Escola

O Homem de Vitruviano é tema de roda de conversa no CEEJA

A atividade que acontece hoje, 21 de outubro, a partir das 16h 20min, traz esclarecimentos acerca da obra de Da Vinci, visando provocar o aluno para participar da montagem do grande quebra cabeça estudado durante a atividade.

null

O desenho de Da Vinci evidenciou a retomada e a valorização de princípios da tradição greco-latina, tais como beleza, harmonia, equilíbrio e proporção. Essa obra atualmente faz parte da coleção da Gallerie dell’Accademia (Galeria da Academia), em Veneza, na Itália. Examinando o desenho, nota-se que a combinação das posições dos braços e pernas formam quatro posturas diferentes.

O Homem Vitruviano é baseado numa famosa passagem do arquiteto romano Marcus Vitruvius Pollio, na sua série de dez livros intitulados de De Architectura, um tratado de arquitetura em que, no terceiro livro, ele descreve as proporções do corpo humano masculino. Vitrúvio já havia tentado encaixar as proporções do corpo humano dentro da figura de um quadrado e um círculo, mas suas tentativas ficaram imperfeitas. Foi apenas com Leonardo que o encaixe ficou perfeito, dentro dos padrões matemáticos esperados.

O redescobrimento das proporções matemáticas do corpo humano no século XV por Leonardo e os outros é considerado uma das grandes realizações que conduzem ao Renascimento italiano. O desenho também é considerado um símbolo da simetria básica do corpo humano e, por extensão, do universo como um todo. É interessante também observar que a área total do círculo é idêntica à área total do quadrado (quadratura do círculo) e este desenho pode ser considerado um algoritmo matemático para calcular o valor do número irracional phi (aproximadamente 1,618). 

Pensamos numa oficina que tivesse como principal objetivo, orientar as pessoas para a importância de conhecer, reconhecer, respeitar e conviver em harmonia com as diferenças, já que convivemos em meio a uma sociedade  que, por motivos de doenças, pode apresentar deformidades por aumento ou diminuição exagerada de membros do corpo como: Hidrocefalia (Aumento da cabeça); Acromegalia (Crescimento anormal das extremidades do corpo); Gigantismo (Crescimento do corpo em grandes proporções); Síndrome de Marfam (Aumento das mãos, olhos esbugalhados e magreza exagerada); Cretinismo (Crescimento em grandes proporções do cérebro); Microcefalia (Cabeça e o cérebro menores que a idade); Nanismo ( estatura reduzida), entre outras.

Também vamos apresentar a eles a razão Áurea, padrão de harmonia entre medidas, mostrando que a matemática é palpável, real e significativa. A utilização da proporção Áurea, além de estar presente no corpo humano, nas construções civis, espontaneamente na natureza, está também presente  no tratamento estético odontológico, a fim de atingir a harmonia e a beleza. Desde sempre, o homem está continuamente à procura da felicidade. E essa, está na beleza sentida ou mostrada. O número Áureo, sendo a representação extrema da perfeição, é a ponte que liga a Arte à Matemática, em busca da beleza…. em busca da felicidade.

Planejamento da Atividade

Roda de Conversa: O HOMEM DE VITRUVIANO.

Disciplinas:   Matemática e Arte

Professores:   Débora Maria Alves Ungaro,  Juliana Góes, Maria Helena da Costa Rosa, Nilce Marvulle de Souza, Rozimeiri Moreno Mariano e Saulo Antônio Netto Lallo.

Data da atividade:  21/10/2019.

Horário da atividade (tempo previsto): 16h20min às 17h50min

Local: Sala de Leitura do CEEJA (sala 27)

Vagas/Inscrições: 25 alunos

Público Alvo: Alunos matriculados no ensino fundamental (Anos Finais) e Ensino Médio 

Eixo Temático e Objetos de Conhecimento (assunto): Proporcionalidade no corpo humano.

Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento (habilidades): – Levar o aluno a conhecer um pouco mais a história de Leonardo da Vinci e seus estudos sobre as proporções ideais do corpo humano;

– Realizar atividades que buscam verificar as razões entre as partes do corpo humano descritas por esse grande artista, uma das figuras mais criativas do século XV;

– Estudar a ideia de proporcionalidade a partir de um quebra-cabeça;

– Contribuir para que o estudo da Matemática seja cada vez mais prazeroso;

Estratégias/Metodologia: Um breve esclarecimento sobre a obra de Da Vinci na roda de conversa; debate sobre o tema abordado; provocação a iniciativa do aluno em participar da montagem do grande quebra cabeça;

Recursos:  Datashow, notebook, textos  escritos e visuais

Avaliação:  Questões abordando Arte e  Matemática, questões abertas com interpretação segundo o tema trabalhado e  texto informativo e será avaliada a participação e interesse do aluno.

 

Você também pode gostar...

Deixe um comentário