Matemática

Testemuho real: da água pro vinho!

 

Aluno do CEEJA reescreve sua própria história, acreditando que é possível aliar a fé e o estudo para a superação!

Testemuho real: da água pro vinho!Sou de Marília, interior de São Paulo. Casado. Tenho 5 filhos. Compartilhando com vocês, meus irmãos, um pouquinho da minha transformação depois que tomei a decisão de entregar a minha vida pra Jesus.

Escrevo para que essas palavras possam inspirar a vida de vocês também. Para isso, gostaria de ressaltar aos irmãos o texto escrito abaixo, que se trata de uma letra de Rap. Ainda está em construção e precisa de alguns retoques.

Para isso, gostaria de ressaltar aos irmãos o texto escrito abaixo, que se trata de uma letra de Rap. Ainda está em construção e precisa de alguns retoques.

(Isso foi uma inspiração do amado Espírito Santo). Vejam a minha música de Rap abaixo:

Da Água pro Vinho

Já algum tempo que o Espírito Santo vem me tocando pra que eu faça, divulgue

Um pingo do meu passado pra relatar o testemunho e fazer prova de ti.

Glorifica e exalta Deus que não esqueceu de mim!

O meu nome nesse momento nem importa tanto agora.

O que importa é que eu estou firmão não joguei minha vida fora.

Comecei a palhaçada aos 14; no cigarro e na maconha viajei!

Manchei o meu jarro de barro!

Cigarro era legal jogava fumaça pra cima.

Eu pensava que fazendo isso eu ia conquistar as minas.

No fundo da construção meu primeiro baseado.

Hoje lá é uma igreja e Deus seja louvado!

Depois disso ai já era, me afundei pra caminhar.

Queria ser mais do que eu era e por isso aprofundar.

Nessas indas e vindas atravessando caminho.

19 anos de idade conheci o Marquinho.

Ele que me encaminhou as primeiras drogas pra eu vender.

Achava que por causa do dinheiro também ia vencer.

Soube entrar na confusão com peito aberto pra morrer

Que nem passou pela minha cabeça o perigo que ia correr.

Tava fortão, me achava, nada me abalava.

Os parceiros tavam morrendo, então me armei por nada.

Não por medo, mas sim por preocupação do passado.

Não tive maldade com ninguém, vou deixar bem explicado.

Entre essas matanças só conseguia ver caixão.

Morre meu parceiro Marquinho com tiro no coração!

Aquilo me abalou tanto nem consegui acreditar.

Não queria ser o próximo, então teria que matar.

Por causa de um amor forte que eu sustento até hoje em dia

Tirei a vida de um cara que estava querendo a minha!

Mas sei que não justifica tirar vida de alguém.

Tava cego pelo diabo, pois de luz estava sem!

Então o diabo se aproveitou e de mim se apossou.

Comecei a usar drogas que você nunca falou.

Nada fazia sentido, não encontrava mais paz!

Nada andava pra frente, ao contrario e só pra traz!

Mais eu passando por aí, tava legal, só visado.

Polícia me investigando por tudo que eu fiz de errado.

Então por isso fui preso e de verdade eu cai!

Foi lá dentro que tive muito tempo pra refletir!

Comecei raciocinar porque passo esse tormento.

Eu não queria estar ali, diabo esta preso ali dentro!

Então fui tirado de lá pra que eu pudesse começar.

Correr atrás do meu perdão, comecei a conectar.

Vai vendo, começa agora minha trajetória pro céu!

Participei de um Face a Face chamado Peniel.

Foi lá que Deus falou comigo e me deixou constrangido.

Agora sei o grande motivo que ainda estou vivo!

Minha família está mudada, tenho lar renovado!

Mas Deus provou que ele conduz sempre o desamparado!

Minha trajetória tem ainda muita coisa pra contar.

Hoje sou líder de célula, pode vim comprovar!

Creio que nunca é tarde pra voltar aos braços de Deus.

Reconstruir os caminhos como reconstruí os meus.

Me curou das loucuras minhas marcas estão nos meus punhos

Meu nome é André, vulgo Miréis, e esse foi meu testemunho pra quem quiser ver que é possível se transformar!


Autor: André, aluno do CEEJA, transformado da água pro vinho.

Texto desenvolvido por meio do Projeto “Ubuntu: Eu sou por que nós somos”, que tem como objetivo principal desenvolver a autonomia, a humanização, a ética, o conhecimento e a emancipação de toda a comunidade do CEEJA.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário